UMA SÃ(O) DEMOCRACIA

O orçamento anual de uma autarquia é o seu mais importante instrumento de gestão e seria natural que merecesse um debate sério no espaço dedicado à intervenção do cidadão, a Assembleia Municipal, é assim em democracia.

Mas não é assim na democracia pouco Sã(o) de Vila Real de Santo António, aqui os espertalhões que a dirigem demonstram um total desrespeito pelos cidadãos da cidade e colocam o orçamento em debate na Assembleia Municipal no meio de 21 pontos!

Isto é, a São e o seu apêndice da Assembleia Municipal não querem que os assuntos camarários sejam discutidos e a forma de o fazer é pelo cansaço.

Alguns dos pontos foram polémicos, a discussão arrastaram-se por algum tempo e mesmo com uma sessão que começou às 21 horas e terminou às 2 da madrugada obviamente que não houve, nem podia haver debate sobre o orçamento. As perguntas, as dúvidas, os alertas foram muitos! As respostas não existiram.

Ao longo de toda a sessão a mesa e a bancada do PSD apenas se preocupava com a necessidade de intervenções rápidas e avançar com votações porque a agenda era grande e depois fazia-se tarde.

A São não respondia, não faz mal, o que é preciso é despachar isto! 

Assistimos a um exercício de democracia maquilhada! Sendo possível cada bancada intervir de forma livre (também não faltaria mais nada), o debate não existiu, as perguntas ficaram sem resposta e o orçamento lá foi aprovado com o voto de qualidade do Presidente da Assembleia Municipal.