244.º ANIVERSÁRIO DA FUNDAÇÃO




Celebrar o 244.º aniversário da fundação de Vila Real de Santo António é celebrar uma cidade que nasceu sob o signo do progresso, com os valores do Iluminismo. Vila Real de Santo António nasceu e desenvolveu-se ao longo de muitas décadas, foi uma das vilas mais dinâmicas do país, ao mesmo tempo que foi uma escola de democracia, onde gerações e gerações, quase desde a sua fundação, estiveram do lado do progresso e da mudança.

Infelizmente não é só a economia que é influenciada por ciclos, os organismos, as sociedades e as cidades também têm ciclos e se durante quase dois séculos Vila Real de Santo António teve ciclos sucessivos de desenvolvimento e de industrialização, nas últimas décdas tem entrado em decadência.

Os políticos são como o vinho, há boas e más colheitas, há zurrapas e vintages e, por vezes, as vinha são atacadas pela filoxera. Vila Real que teve gerações sucessivas de gente dinâmica que a tornou numa importante vila indústria, uma das terras mais rica do país. É agora uma sombra do seu passado. Hoje é pobre economicamente, é pobre socialmente, é pobre culturalmente e e dominada por políticos de pequena estatura.

Uma terra quase iniciativas culturais, uma democracia a lembrar os Kim, vivendo um processo de decadência económica. É esta a imagem de uma terra em decadência, de onde os jovens qualificados fogem, com uma economia que gera pobreza e com autarcas ainda mais pobres do que a cidade que ajudaram a empobrecer.

Resta-nos celebrar este 244.º aniversário na esperança que possa dar lugar a um novo ciclo, um ciclo com mais gente de coragem e que não se vende a troco de cigarrinhos e que não vota porque lhes matam a fome, com políticos mais inteligentes, competentes e honestos, com empresários mais dinâmicos e com mais esperança no futuro. Um ciclo de progresso que honre o Marquês que a construiu.

PS: Duas imagens de uma cerimónia pobre e com falhas de organização: