DA POESIA À BORDOADA



Parece que o grande poeta do Baixo Guadiana e arredores alem de fazer rimas também tem por papel dar bordoada a quem se porta mal com a mana. Não é nada de novo e apenas significa que a democracia praticada na autarquia de Vila Real de Santo António é uma democracia musculada, neste caso uma democracia gordurada.

Mas o nosso poeta não se limita a vigiar e vai mais longe, armando em lanzudo faz ameaças, sugere que um empresário depende de ajudas e escreve como se os dinheiros públicos que pagam trabalhos feitos honestamente tivessem saído da herança dos Cabritas e fossem uma espécie de gorjeta da Mão Amiga, decidida num momento de imensa generosidade da mana para matar a fome a mais um vila-realense esfomeado.

A mensagem está dada, ou se faz aquilo que é conveniente ou "leva-se trampa", o que quer dizer que ou se dá graxa ao regime ou leva-se merda. Esperemos que o poeta não se esqueça e use este rico vocabulário para encontrar rimas. Mas fica aviado de que aqui no Largo, onde nasceu António Aleixo numa casinha que mais tarde foi oficina do Mário pintor, os seus versículos terão um destino adequado.

O aviso foi feito, quem com a sua ausência não abrilhanta as cerimónias da mana leva no Facebook, ainda que a cobardia ou, quem sabe, o bom senso aconselhe a apagar o post muito rápida demente. Aliás, parece ser um tique da democracia gordurada da São, desaparecem muitos posts nas páginas do Facebook.

Mas parece que a coragem não é a praia dele e depois de no post ter jurado que "digo e redigo as vezes que forem precisas e vão gozar com quem bem queiram" mudou rapidamente de ideias e apagou o post. Afinal nem disse, nem redisse, acaba por ser ele o gozado e regozado.


ADITAMENTO 2: UMA PERDA IRREPARÁVEL



Parece que vamos deixar de conhecer os comentários do Sr. António a propósito dos que se comportam com a senhora presidente de uma forma que a família reprova. É uma pena que a sua presença na rede seja reservada aos mais íntimos ou esteja suspensa por quaquer motivo. Perdem-se pérolas da democracia como o post que apagou.


ADITAMENTO 1: Eis a resposta:



É uma pena que em vez de se prender a questões meramente formais o Sr. António não tenha explicado o conteúdo do seu post no facebook ou o motivo porque o retirou. E já que falamos de anonimatos e de redes porque motivo no post que eliminou mete uma imagem de Monte Gordo mas não diz a quem se refere, apelidando-o de "Artista".

Pois, o Sr. António não usa das redes sociais, não se serve delas para chamar "artistas" a pessoas que não nomeia, nem retira os posts quando lhe convém. Enfim, tudo boa gente com bons princípios.