FAZ SENTIDO SIM SENHORA!



Se sempre que as contas de uma entidade fossem alvo de auditorias de rotina isso implicasse que nada há a esconder não faria sentido a existência de um Tribunal de Contas e o MP nunca teria a iniciado um processo contra uma destas entidades. Este é o argumento típico do "Chico Esperto" que acha que os outros são parvos. Seguindo a lógica quase infantil da senhora autarca, também não faz sentido promover um programa radiofónico para que os cidadãos lhe coloquem questões já que para isso servem as instituições camarárias onde os esses mesmos cidadãos podem colocar essas questões.

É curioso a mesma autarca que não quer que lhe fazem perguntas sobre as contas da autarquia/SGU, parece que já gosta que as mesmas perguntas lhe sejam dirigidas se ela tiver o poder de as selecionar, censurar, não responder e até de ser ela própria a encomendar as perguntas a que quer responder num programa radiofónico da rádio de uma família amiga e habitual cliente e beneficiária de negócios camarários.

Todas as auditorias são saudáveis e não seria a primeira vez que uma auditoria consegue resultados que as auditorias de rotina ignoram. Além disso, o que está em causa é apurar uma dívida que a própria autarca refere sistematicamente com base em falsos pressupostos e com números errados. O seu discurso seria bem mais rigoroso se assentasse em número auditados no que na sua criatividade politiqueira.

Quanto a gastar dinheiro este seria bem mais entregue do que os 170.000 pagos por uns desenhitos, tal como foi referido no post anterior. O que é que a senhora autarca teme, que se saibam das suas responsabilidades pessoais no aumento exponencial da dívida da autarquia? Enfim, a coragem não parece ser a praia da São.