O MOMENTO OGRE DA NOSSA SANITA



Se a entrevista da Sanita ao Sul Informação, ao que parece e e a crer no jornal uma “entrevista de fundo” digna de publicação em episódios, revela alguém sem grande dimensão, as suas palavras chegam a ser grotescas quando se refere de forma menos digna aos vila-realenses com menos recursos, que precisaram da ajuda da autarquia.

Num momento ogre, digno de uma Princesa Fiona, a Sanita de Vila Real de Santo António declara «Substituímo-nos ao Estado numa data de situações, matámos a fome a muita gente». A coitada da senhora acha que a autarquia é uma associação recreativa gerida pelo PSD local, a pobre senhora ignora que o dinheiro que usa é dinheiro dos contribuintes e que a instituição que dirige é ela própria o Estado. Enfim, talvez com o tempo consiga perceber que o Estado não é apenas a Administração Central. Não percamos a esperança de que os neurónios da autarca melhorem com a idade, tal como o vinho do Porto.

Mas a Sanita tem razão, se há domínio em que a autarquia se especializou foi em acompanhar a pobreza, é aí que consegue os seus votos mais fáceis. Mata-se a fome de comida aos pobres esfomeados por comida e os pobres matam a fome de poder aos esfomeados por poder. A política autárquica da última década é uma máquina geradora de pobreza, temos um círculo vicioso em que a autarquia gera pobreza para ajudar os pobres e conseguir os seus votos.
Enfim, uma entrevista que promete, vale a pena esperar e acompanhar com atenção para os investimentos publicitários da autarquia no Sul Informação.


PS: pelas baboseiras que lemos no primeiro episódio deste folhetim do Sul Informação dedicado à distinta autarca receamos que se lembrem de desistir de publicar os próximos episódios, porque a dizer alarvidades como a de ter matado a fome a muita gente mandaria o bom senso que nos poupasse ao espectáculo. 

É interessante ever se os próximos episódios aparecem e se estamos perante jornalismo genuíno ou publicidade subliminar paga com contrapartidas em anúncios pagos.