QUANTO CUSTOU?



É bom que os órgãos de comunicação social questionem os governantes e autarcas, da mesma forma que o deverão fazer aos partidos da oposição, assegurando o pluralismo de ideias, sob pena de termos uma democracia à Maduro, o que, aliás, é o modelo adoptado em Vil Real de Santo António por um tal Luís Gomes, agora cantor e emigrado em Castro Marim.

Mas todos sabemos como algumas empresas de Vila Real de Santo António vivem da generosidade da autarquia e não é difícil de adivinhar que vamos ter um tempo de antena da São numa rádio amiga. Mas sobre os lucrativos negócios das empresas da família Gomes com a autarquia falaremos noutra ocasião.

O curioso é que não há surpresas, os jornalistas não incomodam e não há perguntas feitas por telefone. A senhora não gosta de surpresas como se percebe pela forma como só aceita comentários elogiosos no seu Facebook, eliminado todas as críticas e banindo os seus autores.

As perguntas devem ser mandadas para um e-mail do Gmail, isto é, a sua equipa camarária, paga com dinheiro dos contribuintes, está em condições de preparar cuidadosamente as respostas, seleccionando as perguntas, ou fazendo eles próprios as perguntas que dão jeito. Isto numa rádio que há muitos anos tinha um programa chamado Boca no Trombone, onde o interlocutor era um tal Luís Gomes, que ainda estava na oposição.

Por este andar o Maduro ainda vai contratar os serviços da rádio da São, este tipo de conversas em família fazem lembrar os famosos programas televisivos do General Hugo Chavez. Ridículo, ridículo de mais para acontecer na segunda década do século XXI.

Mas vamos ouvir a senhor com muita atenção, a Rádio Guadiana vai ser ouvida atentamente no Largo da Forca.