HAJA RESPEITO!




Na entrevista combinada e manipulada na rádio dos Mendes a senhora autarca diz que vai todos os dias a Monte Gordo ver as obras no jardim que destruiu.

A senhora autarca tem tempo para visitar as páginas no Facebook dos castro-marinenses da Altura para se lamuriar falar mal do seu concelho, que merece a sua pena por ter muitos cobardes.

A senhora autarca tem tempo para andar em passeios de protesto para protestar contra as consequências do imbróglio montado pelo governo dos eu próprio partido com os negócios da EN125. Até usa o dinheiro dos contribuintes para pagar outdoors de uma campanha manhosa em que pões a autarquia que não lhe pertence em guerra com o Governo.

Mas a senhora autarca não parece ter nem tempo, nem dinheiro para realizar uma pequena obra que proteja a dignidade dos vila-realenses que já partiram, talvez porque estes já não votam e por isso pouco conta para a contabilidade da política.

Aquilo que se passa desde janeiro, no setor nascente do Cemitério de Vila Real de Santo António é uma vergonha, é uma verdadeira indignidade e não há desculpa para que as urnas dos que nos deixaram estejam nas condições em que a imagem mostra. Isto é o grau zero da ética, do respeito pelos cidadãos, é uma vergonha! 

É uma vergonha que se veja isto naquele que foi o primeiro cemitério moderno de Portugal, uma obra do Marquês de Pombal, e num tempo em que tanto se fala de iluminismo é de lamentar que os que andam a fotografar as flores nas bermas da EN125, não tenham tempo para fotografar as flores destas urnas do nosso cemitério.