O JAGUNÇO



A figura não é tipicamente portuguesa, por cá "senhores" não tinham esse hábito, a figura mais próxima era ao dos "gorilas" no tempo da repressão dos movimentos estudantis, estudantes ligados ao poder que eram usado para reprimir os colegas. A personagem do jagunço entrou na nossa cultura pelas televisões, com as telenovelas.

O jagunço costuma ser uma personagem com pouca cultura, ainda menos inteligência que se torna numa espécie de canídeo com duas pernas, que morde naqueles que o dono não gosta. Assim, o dono do jagunço pode mandar morder, molestar, ofender, agredir aqueles de que não gostam ou de alguma forma, até mesmo pelo seu pensamento, podem ofender os seus interesses ou questionar o seu poder.

O jagunço não pensa porque sendo demasiado burro é o dono que pensa por ele. O jagunço não fala porque o melhor é ficar calado. O jagunço não escreve, digita aquilo que o patrão manda digitar. O jagunço apenas vomita, é um vómito de gente dos que precisam de jagunços para manterem o poder.

Apesar dos tempos mudarem estas personagens continuam a existir, há sempre jagunços e quem os use para manter um ar de democratas,