DÚVIDAS SOBRE O SNS PRIVATIVO E PARALELO




Há pouco tempo a CM tentou que a Assembleia Municipal aprovasse o pagamento de uma operação feita por um cidadão num hospital privada, com o argumento de que era urgente e o SNS não dava resposta atempada. A respostas às perguntas da oposição terão sido tão atabalhoadas que mesmo contando com uma maioria absoluta a proposta foi retirada, ficando a aguardar por um regulamento.

Enquanto a maioria elabora o regulamento há algumas perguntas a que deveriam ser dadas respostas, a começar por uma muito simples, como é que a autarquia manda operar primeiro e só depois coloca a decisão na Assembleia Municipal?

Mas o problema é mais complexo e a Presidente da Autarquia deve explicar quais as operações que decide pagar, já que certamente o que não falta no concelho são cidadãos a aguardar por cirurgias a realizar pelo SNS.

Sem critérios e sem quaisquer explicações é legítimo recear que este seja um esquema de favorecimento ou de conquista de votos.

Para quando o tal regulamento? Esse regulamento vai ser divulgado e colocado à discussão pública? Tendo em consideração que se trata de algo mais importante do que uma rua fechada a presidente vai fazer uma sessão de esclarecimento ou só se reúne com cidadãos quando estes são comerciantes zangados? Estes pagamento vão passar a ser alvo de divulgação pública para que as situações possam ser escrutinadas pelo cidadão?