MENTIRAS DO REPÓRTER DO LARGO: A ILHA DA FANTASIA



Inspirada na Isla Magica de Sevilha, a nossa autarca, senhora de uma grande imaginação, certamente por influência da criatividade poética da família, decidiu promover a imagem do concelho recorrendo à sua promoção como Ilha da Fantasia. É uma ilha onde os fantasmas deambulam e se reúnem todos os dias junto aos Paços do Concelho.

Os fantasmas que deambulam pela cidade são tantos que a autarquia nem precisa de pedir uma mãozinha da Mão amiga, para mobilizar o pessoal a quem a São mata a fomeca, para fazerem de figurantes fantasmagóricos, liderados pela benemérita a fazer de Capitão Gancho.

Há muito que é conhecido o fantasma que mais atormenta a São e que promete ficar-lhe com o cargo, para não referir um outro fantasma mais conhecido por andar armado de canivete. Mas a estes já se juntaram os empresários fantasmas, donos do bar dos Três pauzinhos e do Grande Hotel Guadiana.

Rapariga empreendedora a nossa Presidente decidiu-se livrar-se destas almas penadas que aprece que vieram para a atormentar e transformou-as em personagens de uma Ilha da Fantasia, a verdadeira Ilha que no passado reunia os piratas do Mediterrâneo, com os de origem catalã em Santo António de Arenilha, os de origem francesa nas palhotas de Monte Gordo e os locais instalados em Castro Marim.

Com o tsunami a engolir Arenilha, o Marquês a ordenar que incendiassem Monte Gordo e o terramoto a destruir Castro Marim, as almas penadas dos corsários do Mediterrâneo, que navegavam as águas do Mediterrâneo e subiam o rio para se esconderem no esteiro do Sapal, fizera da Praça Marquês de pombal o seu local de encontro.

Foi por isso que aquilo que para muitos fui uma inauguração de um bar, para a Presidente, como ela própria declarou na Rádio Mendes na passada quinta-feira, no seu tempo de antena patrocinado, o que aconteceu não foi aquilo que pareceu, daí que o bar foi de novo encerrado para mais tarde reabrir, aliás, abrir.

Aquilo que no site da CM e no vídeo de autopromoção no Facebook da São foi uma inauguração, afinal foi uma organização para assinalar uma regata cujos barcos apanharam vento pela popa na imaginação da nossa autarca. Isto é, perante tantos corsários e navios de piratas a povoar o Guadiana com a maré cheia de neurónios da senhora Presidente, oq eu estava a ser mesmo inaugurada era a nova Ilha da Fantasia da São Cabrita.